Imprimir

Estudante do Campus Santos Dumont conquista terceira medalha da OBMEP

 
 
Dener Ribeiro e professor Marcony MeneguelliCriada em 2005 para estimular o estudo de uma das disciplinas mais complexas e importantes da Educação, a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) reconhece anualmente, por meio de medalhas e menções honrosas, os melhores desempenhos de seus participantes. Da sexta série do Ensino Fundamental ao último ano do Ensino Médio, são três níveis dedicados a estudantes de instituições municipais, estaduais e federais. Os medalhistas ainda têm a oportunidade de participar de um programa de iniciação científica no ano seguinte. A edição de 2016, realizada entre junho e novembro, é a terceira em que o nome do aluno Dener Ribeiro Maurício, do segundo ano do curso técnico em Mecânica integrado ao Ensino Médio do Campus Santos Dumont, aparece neste seleto grupo.
 
Medalhista de bronze no Nível 3 (dedicado ao Ensino Médio) da 12ª OBMEP, Dener foi um dos 58 estudantes dos diversos campi do IF Sudeste MG que obtiveram alguma premiação. O aluno de Santos Dumont participou de quatro edições e teve seu ótimo desempenho reconhecido em todas elas: além do bronze em 2013, 2014 e 2016, ele recebeu menção honrosa no ano passado. Em entrevista ao site do campus, quando questionado sobre a melhor metodologia para o estudo da Matemática, o estudante de Mecânica valorizou a prática.
 
“Exercício, exercício, prática… À medida que vai praticando, você vai melhorando seu potencial e desenvolvendo novas técnicas e raciocínios”, comentou Dener, acrescentando que sempre gostou da disciplina. “Ser medalhista da OBMEP é muito difícil”, destacou o professor de Matemática do IF Marcony Meneguelli (na foto, ao lado de Dener), “e realmente o Dener tem um desempenho bem acima da média. A aptidão natural que ele tem para a disciplina facilita o gosto pela área. E uma coisa alimenta a outra: ele tem a facilidade de compreender e, quando ele compreende, ele passa a gostar mais. Por gostar mais, ele quer ver mais e aprende. Esse ciclo vai sendo alimentado. Obter quatro condecorações consecutivas é algo muito relevante”.
 
Para o professor, a assimilação do conteúdo na Matemática está ligada muito mais ao entendimento do processo do que à memorização de fórmulas, por exemplo. “O primeiro ponto é tentar mostrar ao aluno o porquê daqueles resultados (em exercícios de Matemática), de onde eles vêm. Quando você indica o caminho para chegar a uma determinada expressão matemática, está gerando uma possibilidade de maior fixação (do conteúdo) por parte do aluno. Outro ponto é a prática: quando você sai da teoria e estabelece aplicações, começa até a automatizar alguns resultados. Quanto mais ferramentas o estudante tem, mais preparado ele está para fazer uma avaliação, especialmente quando ela trata de assuntos diversos, como é o caso da OBMEP”, concluiu. Em 2016, mais de 17 milhões de estudantes participaram da Olimpíada.